BNDES, XP Asset, One7 e Acqio oferecerão R$ 400 milhões em crédito a MPMEs

BNDES, XP Asset, One7 e Acqio oferecerão R$ 400 milhões em crédito a MPMEs

Objetivo é irrigar capital para pequenos e médios empreendedores para o fortalecimento do ambiente de negócios afetados na pandemia. 

Empréstimos beneficiarão principalmente empresas ds regiões Sudeste e Nordeste.

O Banco Nacional e Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) fará aporte de até R$ 320 milhões em mais um fundo que ofertará crédito para micro e pequenas empresas: o FIC FIDC XP Brasil MPME, lançado em parceria pela XP Asset, a One7 e a Acqio. O fundo, que terá um patrimônio consolidado de R$ 400 milhões, possui a previsão de beneficiar empresas localizadas principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste do país. O objetivo é oferecer capital na ponta para empresas que carecem de crédito e ainda sofrem os efeitos decorrentes da pandemia de covid-19. Trata-se do primeiro produto da XP Asset em parceria com o BNDES.

Além do aporte do BNDES, R$ 60 milhões virão de fundos geridos pela XP Asset e R$ 20 milhões da One7, empresa atuante no segmento de MPMEs. O Fundo terá prazo total de seis anos. 

Com os recursos do BNDES, o FIC FIDC XP Brasil MPME ofertará crédito a microempreendedores individuais e pequenos e médios varejistas do setor de comércio e serviços (com faturamento anual entre R$ 120 mil e R$ 1,2 milhão) e pequenas e médias empresas (com faturamento anual entre R$ 3 milhões e R$ 36 milhões) dos setores de indústria, construção civil e comércio e serviços, localizadas. O FIDC viabilizará a oferta de microcrédito a áreas com menos acesso a financiamentos e baixo desenvolvimento socioeconômico.

“Essa é uma iniciativa que vai ao encontro da missão do BNDES de fomentar o acesso ao crédito no país, estimulando a entrada de novos participantes, formatos e focando esta atuação na base de micro e pequenas empresas. Nesse sentido, a constituição desse FIDC em parceria com a XP, a One7 e a Acqio, é uma forte indicação que estamos no caminho certo em prol da concessão de crédito na última milha com maior efetividade. Desafio que o BNDES colocou como prioridade estratégica”, aponta Bruno Laskowsky, Diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES.

“Como plataforma de investimentos, conseguimos fazer com que o capital chegue na ponta produtiva do país que mais tem necessidade de acesso a financiamento. Com isso, fomentamos uma parcela do empresariado brasileiro que é essencial para o desenvolvimento do Brasil”, ressalta Filipe Mattos, head de Special Situations da XP Asset.

“Diminuir a assimetria do crédito oferecido às empresas brasileiras é um objetivo ambicioso, mas possível para nós na One7. Isso porque estamos focados no crescimento sustentável dos nossos stakeholders e com muito apetite para ‘fazer acontecer’ na rotina das PJs do Brasil, com uma plataforma de serviços financeiros cada dia mais robusta”, revela João Paulo Fiuza, CEO da One7.

O fundo é o sétimo contratado por meio da Chamada Pública. Além do FIC FIDC XP Brasil MPME, receberam recursos da chamada os FIDCs das empresas CashMe-Plural, Captalys, SRM, Cielo, SumUp e BizCapital. No total, o BNDES já comprometeu cerca de R$ 2,5 bilhões para esses fundos, que totalizam R$ 3,1 bilhões em recursos totais para as PMEs. Ao todo, estima-se entre 500 mil e 800 mil autônomos, micro e pequenos empresários e autônomos poderão obter crédito mais barato e acessível.

Sobre o BNDES

Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano. Em situações de crise, o Banco atua de forma anticíclica e auxilia na formulação das soluções para a retomada do crescimento da economia.

Sobre a XP Asset Management

A XP Asset Management é a marca da XP Inc. que atua com gestão de recursos. Nascida em 2006, oferece um portfólio completo de produtos para investidores institucionais e pessoas físicas que buscam ativos robustos e consistentes. A XP Asset tem uma gestão inovadora e eficaz, com ativos que incluem Renda Variável, Multimercados Macro, Renda Fixa, Crédito Estruturado, Infraestrutura, Imobiliário, Indexados, Alocações e Private Equity.  

Sobre a One7

Empresa especializada no mercado de crédito para Pessoa Jurídica, reconhecida como um importante player de soluções em recebíveis para pequenas e médias empresas por meio de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) e securitizadora de crédito. Em 2020, adquiriu o controle da fintech Rapidoo, focada em gestão de recebíveis para micro e pequenos negócios, 100% digital, lançou no mercado a toazul, linha de crédito consignado privado para pessoa física, e uma conta de pagamento digital. Também fazem parte da plataforma de serviços financeiros One7 uma Consultora de Crédito e uma empresa de tecnologia e inovação.

Sobre a Acqio

Fundada em 2014, a Acqio é uma fintech brasileira que atua como adquirente e desenvolve soluções de pagamento para o varejo. Com sede em São Paulo, está presente em mais de 2.500 municípios, tendo sido a primeira empresa de meios de pagamento a criar o canal franquias para a distribuição de produtos com foco no desenvolvimento do empreendedorismo, investindo na capacitação e geração de renda de seus mais de 1.000  franqueados.​ Ocupa atualmente a 6ª posição no ranking de rede de franquias brasileiras, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), e recebeu por dois anos consecutivos o Selo de Excelência em Franchising da ABF. Como adquirente, a companhia se destaca pelo atendimento pessoal e consultivo para o pequeno e médio empreendedor e possui o selo RA1000, do ReclameAQUI, um dos mais importantes títulos de relacionamento com o cliente do Brasil. A Acqio é controlada pela Siguler Guff, gestora americana com R$90 bi sob gestão e presente no Brasil desde 2007.

*Para acessar a matéria publicada no site do BNDES em Dezembro/2021. Clique aqui.